segunda-feira, outubro 02, 2006

As rádios piratas na imprensa nacional III


Depois de muita discussão, avanços e recuos, a lei que legaliza a radiodifusão local foi finalmente aprovada. Mas, as emissoras locais não começaram a emitir sem uma nova polémica. É que, enquanto decorresse o concurso público para a atribuição de frequências, as rádios piratas teriam de deixar de emitir. Alegava o governo que a medida servia, essencialmente, para não perturbar o processo de avaliação das candidaturas.

A medida foi recebida com insatisfação pelos responsáveis das rádios que se queixavam dos prejuízos decorrentes de uma pausa, que verdadeiramente, ninguém saberia quanto tempo iria durar. As rádios tiveram mesmo que suspender as emissões no dia 24 de Dezembro de 1988.

O artigo do Diário de Lisboa de Março de 1989 noticia o regresso das rádios locais, agora devidamente enquadradas na lei.

O «presente de Natal» foi o seu encerramento; o «ovo da Páscoa» traz dentro a reabertura. As «ondas» de Lisboa vão ficar mais alegres com o regresso das «Rádios Locais». A «Correio-da-Manhã-Rádio» já está a emitir. Na próxima semana chegarão a TSF e a«Rádiogeste».

Com a legalização das emissoras locais, o país conheceu um cenário radiofónico assimétrico. No litoral faltaram frequências para o número de candidaturas e no interior, emissoras houve que nunca chegaram a emitir por falta de condições. Algumas dessas frequências continuam ainda hoje por ocupar.

1 comentário:

sara mello disse...

Olá, Luis!
Quero te convidar para conhecer meu blog.
Quando tiver um tempinho, entra lá, deixe sua opinião e, se gostar,indique aos amigos.
Obrigada!!!

www.saramello.blogspot.com